quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

e assim digo: até breve.

.
pois é, o tal ano de 2000inove entrou em contagem regressiva, pois daqui algumas horas ele será só saudade.
como eu sou uma pessoa que gosta de lista e como todo fim de ano pede uma lista, eu vim fazer a[s] minha[s] '-'
o ano de 2000inove me deu de presente:
a thamy, a nath, a kah, o igor, o berg, o ju, o niltinho, o eric, a thata, a fê, a rafa, a sah, a dê, o will, o cleber, o senho heitor, a nana.
claro que o ano de 2000inove não seria tão completo como foi, se eu tivesse perdido: o jee, o otávio, a lívia, o chris, a pri, a luri, o leo, a rebeca, a pâmella, a rosana, a manu, o brayan, o bruno, o rafa, a raíssa.
eu li: crônicas de nárnia (volume único), o jogo do anjo, a segunda vez que te conheci, o diário de anne frank, garoto encontra garota, travessuras da menina má, eclipse, a cabana, a menina que roubava livros, querido diário otário (1), o segredo das quatro letras, a eterna privação do zagueiro absoluto, água para elefantes, meu nome não é johnny, a sombra do vento, onde o vento faz a curva, todas as histórias do analista de bagé, o opositor.
eu iria até fazer uma lista de filmes, mas desisti, pois eu tenho memória de peixe (?)
não fiz tudo que deveria ter feito. comecei algumas e outras eu deixei pelas metades. e claro , bastante eu joguei pro alto e deixei pra lá (:
a minha roda-gigante girou no tempo certo, estive no alto/no baixo/no meio, mas agora é hora de saltar dela e entrar em uma nova.
e novamente eu digo: viveria o ano de 2000inove de novo e com um sorriso no rosto.
levando meus presentes novos e antigos. com a mala cheia de sonhos e vontades. é assim que eu digo adeus ao ano velho e olá para o ano novo.
e claro, obrigada a você que lê isso aqui e que gosta do jeito sem nexo que eu escrevo, o seu nome pode não constar nas listas ali em cima, mas tenha certeza de que você fez a diferença na minha vida - com os comentários e elogios. um beijo na bunda e até o ano que vem :*

# o meu show já começou.

quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

words.

.

wonderful
bitch
sorry
daughter
happy
have
bad
just
cool
remeber
shit
game
over
always
know
strawberry
down
hot
out
maybe
nice
west
lost
one
box
simple
like
crazy
black
say
welcome
cake
coffee
miss
grandma
little
you
us
together
new
house
book
go
own
true
more
sweet
slow
dream
first
time
back
alone
monkey
feel
upgrade
end
what
call
me

# palavras sempre fazem diferença.

291209


.
são tantos planos.
são tantos sonhos.
são tantas listas.
são tantos objetivos.
são tantos quereres.
são tantas vontades.
são tantos lugares.
são tantas pessoas.
são tantas paixões.
são tantos amores.
são tantos relacionamentos.
são e serão nesse novo ano que vem chegando (:

# palavras não podem conter.

segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

é só o fim do ano.

.
eu gosto dessa época.
época de olhar para os meses/dias passados e ver o que foi bom/ruim. recordar alguns acontecimentos e ser perturbada por outros.
de fato o ano foi ótimo, em todos os sentidos.
curti uma vida amorosa mega bagunçada - da qual eu irei me livrar ano que vem. pois mesmo com tantas paixões e amores, percebi/aprendi que certas coisas precisam de ordem e dedicação.
conheci pessoas com as quais eu sonhei durante anos.
fiz algumas amizades instantâneas e outras que levarei comigo para o ano seguinte.
conquistei pessoas e espaço. fui conquistada e cedi espaço.
arriscaria dizer que hoje sou uma nova pessoa, mas não, ainda não. preciso de muita mudança - anseio por elas nesse ano que vem vindo, ou até mesmo quem sabe no outro.
mesmo não sendo uma nova pessoa, posso dizer com certeza de que a mesma eu também não sou.
eu consegui enxergar além de meras aparências.
machuquei o coração trocentas vezes. o fiz feliz milhares de trocentas vezes.
me decepcionei com algumas pessoas. e decepcionei algumas pessoas.
perdi outras. e outras me perderam.
gosto desse clima nostálgico.
todo fim de ano é assim, regado por bebidas, lembranças e promessas.
eu ainda volto, pra contar com detalhes algumas lembranças. e sim, com as (falsas) promessas de sempre :B

# quando eu te vi o meu coração se abriu.

talvez seja só lamentação.

.
olhar os dias que se foram e ver que você se foi junto.
é muito lamentável.
eu sei, tudo poderia ser diferente, se eu ainda corresse atrás de ti como sempre.
logo você, o homem da minha vida toda. aquele que era pra ser o meu espelho, meu melhor amigo e o meu pra sempre.
às vezes penso que se a causadora disso tudo fosse a dona morte, eu ficaria mais aliviada.
o que era pra se tornar eterno/durável, não passou de nove anos - não chegamos nem comemorar as bodas de cerâmicas, pois o fim chegou meses antes de nossa data especial.
nem sei o motivo que me levou a escrever-te, talvez eu ainda me encontro procurando alguma palavra doce que aliviará minhas dores.
quando perguntam sobre ti, eu nem penso, digo logo:
- não sei e nem quero saber.!
o ódio meio que toma conta e quando vejo já saiu.
é claro que eu adoraria saber como você tá. é claro que eu queria sentir sua falta todos os dias, mas isso não rola mais.
não sei dizer se aquele velho/grande amor se foi. a única coisa que sei é que desde aquele dia ele nunca mais se manifestou.
será que você ainda sente algo por mim?! será que algum dia vamos voltar?! será que algum dia tudo isso irá passar?! são tantos 'serás' que eu até me perco.
ainda me pergunto o que farei com os tantos planos/sonhos que eu tinha com você.
eu acreditei em você, eu confiei em você e eu amei você.
tudo bem, não carrego nenhum arrependimento comigo, pois ainda me lembro das salgadas lembranças que você me deu.
é que às vezes eu acordo e desejo que tudo seja só um pesadelo, mas quando sinto o vento gelado no rosto, vejo que é tudo real.
o ano de dois mil e nove tá chegando ao fim, assim como tudo aquilo que um dia existiu entre nós.

# o silêncio continua sendo a melhor resposta.

domingo, 27 de dezembro de 2009

g4l

.
till the day that I die, i promise Im standing high

sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

[in]direta.

.
- porque você seria o meu melhor presente de natal.

.

quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

foi isso que aconteceu.


.

só sorriso.

.
quando eu menos espero, pronto: acontece.
estava indo almoçar. fones acoplados aos ouvidos e um olhar perdido. pensamentos a mil, mas sem organização alguma.
quando estava pra virar a esquina, não acreditei no que meus olhos estavam vendo. ele sentado na calçada, com uma bermuda azul e sem camisa. senti um sorriso se abrir, era a senhora felicidade se manifestando do jeito mais comum.
ele levantou e veio na minha direção, em momento algum pensei que tivesse se levantado pra falar comigo, até mesmo porque eu sabia que ele sentia vergonha de mim, vergonha de tudo o que tinha acontecido com ele - me enganei.
ele veio ao meu encontro, estendeu a mão e deu aquele sorriso maroto de sempre - pelo qual eu sempre fui apaixonada '-'
fiz o mesmo, estendi a mão e perguntei como ele estava.
fomos caminhando em direção a casa de minha avó. eu podia sentir os olhares a minha volta, me condenando e julgando ele. não liguei, quando estou com ele não me importa o resto - é, talvez ainda seja apaixonada por ele.
chegamos em frente a casa de minha tia e sentamos do outro lado da rua. ficamos conversando durante longos minutos, até minha avó aparecer e me gritar pra almoçar. eu não queria ir, queria conversar com ele, saber mais e sentir mais o cheiro dele.
- vai lá. quando você terminar me avisa.
- como?!
- que nem antigamente, dá um toque lá em casa e eu venho.
- tá bom.
entrei correndo e engoli a comida. escovei os dentes e ajeitei meu cabelo. estava com pressa, até mesmo porque o relógio não parava e já estava quase na hora de eu voltar para o trabalho. peguei o celular de minha avó e liguei pra casa dele.
- já estou indo.
dei um beijo em minha avó e fui embora. quando cheguei na rua e olhei pra esquina o avistei. com a mesma bermuda, mas agora de chinelo preto e camiseta branca.
- pra onde você vai?!
- voltar para o trabalho.
- onde você tá trabalhando?!
- praia da costa.
- posso ir com você?!
- pode uê.
como se ninguém estivesse olhando ele me acompanhou.
chegamos na esquina que eu sempre viro, uma rua antes da praia. aí ele vira e diz:
- a gente não pode ir pela praia?!
- podemos. mas é que eu sempre passo por aqui.
então seguimos reto e fomos pra praia. chegamos lá e começamos a lembrar de que tudo começou ali. ele pegou a minha mão e me puxou pra areia.
- ah, não thiago. eu estou indo trabalhar.!
- uê, eu sei. e deixa de ser fresca, lá você lava o pé e pronto.
- u.u
chegamos perto do mar e continuamos caminhando. e ele não soltou a minha mão, eu também nem me importei com isso. seguimos caminhando pertim do mar, correndo algumas vezes pra eu não molhar as calças. ele foi segurando minha sandália - sim, hoje eu resolvi vir trabalhar de sandália.
sorriso daqui. bochechas coradas dali. e assim eu cheguei no trabalho.
- vai aparecer lá na rua hoje?!
- acho que não, eu só vou lá no horario de almoço.
- me liga e me diz onde você tá morando. aí eu passo lá se você quiser.
- tá bom. obrigada pela companhia
ele vinha chegando perto. então, virei e disse:
- até mais tarde, e vai pela sombra :)

# eu acho que sei a quem você pertence.

segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

que seja doce.

summer - on.

.
sol.praia.sedução, é o verão - rimou :B
pois é, todos já estão sabendo e isso aqui não é novidade. o verão começa hoje o/
a estação quente pra alguns, mas que pra mim sempre foi fria e solitária ;~
parece que o sol que esquenta a areia da praia congela o meu coração. e as pessoas se afastam, pois abraço no calor não é lá muito bom pra eles. tá certo, eu não abraço ninguém suado, a não ser que esse alguém seja meu namorado.
mas vamos voltar as coisas boa do verão, hoje pela manhã quando estava vindo trabalhar percebi que o tom azul do mar era outro. pra algumas pessoas era o mesmo mar de todas as manhãs, mas pra mim não, era o mar de verão. aquele que quase consegue me seduzir pra mergulhar.
a senhorita primavera ainda deixou umas flores de presente.
espero nesse verão ganhar um bronze, porque já cansei da cor amarela.
até hoje eu não tive um amor de verão, será que ele aparece nesse ano?!

# eu te aceitarei do jeito que você é.

domingo, 20 de dezembro de 2009

até logo mais.

.
a primavera já está chegando ao fim. só lhe resta algumas horas e pronto.
isso poderia soar triste, mas não é. pelo menos pra mim não, pois carrego comigo a certeza de que ano que vem tem mais (:
então, antes da última flor se abrir eu quero aproveitar melhor as que já se encontram abertas.
última/primeira estação.
nesse ano que já se encontra com os dias contados, eu aprendi a reparar mais e gostar mais de cada estação.
agora eu estou dizendo um até breve a senhorita primavera, e logo mais direi um olá bem caloroso pro verão (:
a primavera, diferente do comum não me trouxe flores novas. tá, mentira, pois ela trouxe várias. só que mais importante do que trazer novas flores, ela soube me ensinar a cuidar melhor das antigas. umas que eu já pensava não ter mais jeito. é, como sempre eu achando que tudo é o fim e pronto. preciso ser mais otimista.!
pois bem, vá pela sombra minha querida. e volte em breve com novos ramalhete de flores pra mim e para o meu amado (:

ao som de 'primavera - los hermanos' ♪
sim, eu lembrei do fii :)

# primavera soprando pr'um caminho mais feliz.

completo.

.
- mas ligados no mesmo destino, um amor feito eu e você :B

sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

preto/branco


.
o preto e branco sempre chamou a minha atenção. tudo bem que eu gosto do colorido, mas o preto e branco parece ser tão original, sabe?!
não sei quem inventou as cores, mas desde que elas passaram a existir o preto e branco caiu no esquecimento. não estou dizendo que tal pessoa fez errado, até mesmo porque o colorido às vezes se faz necessário.
o preto e branco representa o simples. algo discreto.
o preto e branco tem um charme diferente.
o preto e branco não chama a atenção, mas prende a minha atenção.
o preto e branco deixa a foto mais bonita.
o preto e branco me deixa ver além da aparência 'perfeita'.
e é através do preto e branco que eu tenho visto você, com todas as falhas e erros, não fique preocupado, pois só quando descobrimos a verdade é que o sentimento se torna real. não garanto que esse sentimento irá durar ou se manifestar todos os dias, mas uma coisa é certa, ele existe agora, e isso é o que importa pra mim.

# às vezes tenho uma leve sensação de que estou apaixonada.

quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

deixando/seguindo

.
nada melhor que deixar tudo aqui e seguir em frente. com a mochila cheia de sonhos e planos.
deixar aqui os problemas que me impedem de dormir em paz.
deixar aqui as lamurias contínuas.
seguir em frente levando aquilo que faz meu coração acender e queimar.
seguir em frente fazendo o real virar sonho.
deixar aqui os pesadelos do presente.
deixar aqui as preocupações do passado.
seguir em frente projetando o ontem.
seguir pra esquerda e fazendo o meu 'certo'.
alguém afim de me fazer companhia?! (:

# o sentimento ainda é o mesmo, só que com outra roupa.

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

alone.

.
entrei no cinema sozinha. ouvindo música no último volume - como sempre. tirei o livro da bolsa e coloquei os pés em cima da cadeira do lado, me senti em casa.
aos poucos outras pessoas foram chegando, cada um com o seu par e eu sozinha.
e é sempre assim que sou vista, sozinha.
não sei o que aconteceu comigo, pra falar a verdade não quero saber. cansei se ficar procurando respostas e razões pra tudo que me acontece. estou assim e pronto.
andar sozinha às vezes é necessário. tem gente que diz que é pra eu aprender a valorizar a companhia das pessoas, vásaber.
confesso que não sinto falta de alguém ao meu lado. mentira, eu sinto sim, mas não demonstro e nem procuro um alguém.
acho que o coração tá querendo um tempo pra ele.
eu gosto de estar acompanhada e de ser uma companhia pra alguém, só que eu acho que não sei mais fazer isso. quando estou com alguém, só meu corpo se encontra presente, pois meus pensamentos estão soltos e vagos. sinto que o meu sorriso já sai de um jeito forçado, coisa que eu não gosto. poderia dizer que esse é um dos tantos motivos que eu tenho pra querer ficar sozinha.
talvez o motivo maior seja a situação que eu estou vivendo, mas seria ridículo demais colocar toda a culpa nisso.
não pense que pelo fato de se encontrar sozinha eu sou triste, pelo contrário. tudo bem, existe aquele velho papo de que 'é impossível ser feliz sozinha(o)'. só se lembre que ser e estar são coisas diferentes, eu posso não estar feliz, mas eu sou feliz. quem sabe até um solitária feliz, acredite, pois de fato existe.

# se não for pra ser feliz é melhor largar.

terça-feira, 15 de dezembro de 2009

vinte três

.
com um sorriso amarelo, foi assim que eu cheguei na porta da casa dela. estava afim de fazer uma surpresa, saber mais sobre ela. notei que estava tudo fechado e sem nenhuma luz acesa, confesso que pensei em voltar, mas não foi o que fiz.
toquei a campainha uma vez. duas vezes. dez vezes, mas só na vigésima terceira é que eu vi que uma luz se acendeu. sim, tinha alguém em casa.
fiquei ali, esperando então a porta se abrir.
lá estava ela, de pijama. descabelada e com remelas nos olhos. percebi que quando me viu rolou uma vergonha, o que explicava as bochechas vermelhas. senti um vontade enorme de fazer várias perguntas, mas consegui me segurar. demorei tanto pra conseguir me encontrar com ela, que eu não poderia simplesmente espantá-la com tantas perguntas.
- o que você quer?!
- nada.
- então por que diabos você está há horas na minha porta e ainda tocou milhares de vezes a minha campainha?!
sim, ela estava muito nervosa. o que não era novidade pra mim.
- primeiro, tem apenas vinte e três minutos que eu estou em frente a sua casa. e foram (só) vinte três vezes que eu toquei a sua campainha.
- que diferença faz?! já que você não quer nada eu vou entrar.
- você nem chegou a sair ... será que eu posso entrar, ou quem sabe você possa sair ...
antes mesmo deu terminar a frase ela já estava no portão, abrindo o cadeado. não fez nenhum convite, só abriu e virou as costas. fiquei ali parado, sem saber se a seguia ou não. ela não olhou pra trás, seguiu em frente e entrou. então percebi que sim, era pra eu ir.
abri o portão e entrei. quando cheguei na porta vi que a sala estava vazia e bagunçada. ouvi um grito:
- pode sentar, só tome cuidado com as coisas que estão espalhadas, não pise em nada.
essas coisas eram recortes e mais recortes. de revistas/jornais/livros. tinha papel/cola/tesoura espalhados pela casa toda. com todo o cuidado possível eu entrei e me sentei.
depois de vinte três minutos esperando sentado, ela apareceu. de cabelos presos, olhos lavados e um hálito de morango.
- então, como descobriu onde eu morava?!
- foi fácil. eu já sabia.
- você é algum espião?!
(um sorriso se abriu)
- não. só um curioso.
- tá, que seja. o que você quer?!
- acho que a pergunta certa seria: o que eu quero contigo.
(bochechas rosas, um silêncio)
- desculpa-me. não queria te deixar assim. é que eu sempre gostei de você, mesmo de longe, mesmo sem saber o seu nome.
- posso só saber de onde você me conhece?!
- do ponto de ônibus.
- mas eu nunca te vi por lá. não repare, eu sou sonsa mesmo.
- eu já percebi. até mesmo porque uma pessoa esperta não iria perder o ônibus todo dia só pra não parar de ler.
- e eu pensei que ninguém percebia isso. você sempre esteve lá?!
- todos os dias. até que você sumiu. fiquei preocupado e com saudade. com isso passei a vir na porta de sua casa todos os dias, mas como estava tudo sempre apagado eu não chamava. e também não teria o que dizer.
- é, mas então por que fez isso hoje?!
- porque eu sabia que você estava em casa. e a minha amiga disse pra eu fazer.
- ah, então você faz aquilo que sua amiga diz pra você fazer?!
- só quando eu quero. é que às vezes preciso de alguém pra concordar comigo.
- sem problema. me desculpa o jeito indelicado, é que eu não estou muito social.
- posso perguntar o que aconteceu?! e por que você sumiu do ponto de ônibus?!
- eu gostaria de deixar esse assunto pra outro dia. você tem horas pra ir?!
- não, estou de férias.
- ótimo, precisava mesmo de uma ajuda com isso.
(ela mostrou-me a situação da sala, como se eu já não tivesse percebido)
- claro, o que quer que eu faça?!
então, foi assim que eu conheci a tal menina do ponto de ônibus. ainda não sei o seu nome. passei a tarde e uma parte da noite. quando o relógio marcou vinte três em ponto, me levantei e fui embora. esperando pelo dia vinte quatro.

# eu quero ser outra pessoa qualquer.

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

imaginação.

domingo, 13 de dezembro de 2009

alfa e ômega.

.
às vezes eu procuro coisa onde não tem. quero soluções prática e fáceis, como todos. me esqueço de que pra certas coisas é necessário dedicação/tempo/paciência. sinto vontade de pegar e fazer do meu jeito (errado). depois de um tempo vejo a besteira que fiz.
ainda bem que ele tem toda a paciência do mundo comigo. me dá toda a liberdade possível. o seu amor por mim não altera nunca.
ele fez/faz/fará sempre A diferença na minha vida. com ele eu tenho um colorido a mais. um sorriso diferente e uma razão diferente pra continuar sorrindo, mesmo quando os olhos estão jorrando lágrimas e mais lágrimas.
com ele as coisas acontecem no tempo exato. nem antes, nem depois. sempre pontual, sempre presente, sempre firme e fiel.
eu nunca encontrei e sei que nunca encontrarei palavras certas e exatas pra falar um pouco se quer do que ele realmente é, do que ele realmente representa pra mim. sou pequena demais, mas isso não faz diferença pra ele, na presença dele sou uma gigante, sou vitoriosa e valiosa.
o meu amor maior. a minha motivação pra continuar saindo da cama todos os dias. a razão pela qual eu ainda respiro e tenho esperança. só de falar/pensar nele o meu coração queima, a minha alma se alegra e os olhos fazem questão de tornar tudo público. *o*

# vou avançar, eu vou crescer.!

[a]normal


.
vou pendurar meu coração em uma corda,
jogar ele no abismo.
quem sabe eu não te 'pesco' :)

sábado, 12 de dezembro de 2009

just.

.
eu queria saber o melhor jeito de te dizer que acabou.
mas o fim não é fácil.
meu coração chora, assim como o seu futuramente irá chorar.
melhor chorar agora do que viver chorando sem motivo.
eu não quero alongar sofrimentos.
sei que será tenso pra você, que sempre esperou e quis mais de mim.
não vou dizer: eu te avisei. porque sei que esse conjunto de palavras só faz doer mais ainda a ferida.
será que um 'sinto muito' ajuda?!
é, sei que não.
desculpa, estou aqui arrumando palavra e inventando moda sem necessidade alguma.
o fato é: acabou.
eu quero outro, não que você não seja bom pra mim - e olha que entrando naquele clichê 'não é você, sou eu'. desculpa-me.
siga em frente, vá pra direita, pra esquerda, volte e comece de novo. mas dessa vez será sozinho.
meu caminho agora é outro e eu já arrumei uma companhia nova - saudade.

# just stay strong.

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

quinta feira.

.
pisar na areia da praia nunca foi tão bom como ontem. mesmo de tênis eu sentia os grãos de areia -que entravam pela meia. caminhei bem perto do mar, sentindo aquele cheiro que convidava para um mergulho, mas eu não aceitei. estava de tênis/meia e calça jeans.
meus passos eram lentos, eu não tinha nenhuma pressa de chegar em casa. precisava respirar sozinha, ouvir o silêncio e conversar com as ondas.
era um fim de tarde cinza. com ventos gelados.
estava tudo do jeito que eu gosto, e ficou melhor ainda quando me encontrei com ele.
nos sentamos na areia e ficamos procurando assunto, coisa que não iria faltar, já que havia uma saudade a ser contida. anos sem um encontro se quer.
ele falou sobre a faculdade e sobre os trabalhos que ele exerce na igreja. contou que se mudou e por isso sumiu. disse que ainda guardava minhas cartas/meus bilhetes, o que me fez corar no ato.
eu falei com ele sobre os meus problemas familiares e do trabalho, no começo fiquei com vergonha e disse:
- sásenhora, tanto tempo que a gente não se encontra e eu só sei falar de problemas, desculpa. ><'
- ah, pode parar com isso. pode continuar. já percebi que é disso que você está precisando.
então, continuei a contar tudo aquilo que eu estava passando/vivendo nos últimos dias. não acreditava que eu estava expondo os meus problemas de casa com alguém, essa é a coisa mais difícil de acontecer, mas aconteceu.
ele ouvia tudo sem qualquer expressão de fadiga. se mostrava preocupado mesmo. pensei: só pode ser um sonho.
quando terminei já estava com os olhos vermelho e deitada no ombro ele, precisava esconder meu nariz vermelho.
mudamos de assunto, ou melhor, voltamos ao passado. da época que éramos 'namorados'. ah, como aquilo foi legal. rimos tanto um do outro. levantamos e continuamos andando pela areia, sem rumo e sem pressa.
voltamos pro calçadão, tomamos uma água de coco e fomos embora. ele me acompanhou até em casa. ele pegou o meu msn e o meu número de telefone, só que eu esqueci de fazer o mesmo ;~
ele se foi, prometendo que qualquer dia iria aparecer.
agora eu fico aqui esperando esse qualquer dia chegar. *o*


# eu tenho uma doce canção.

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

metamorfose ambulante.

.
se tem um assunto que eu sempre gostei de falar, esse assunto é: eu :)
estou sempre tentando me ver pelo lado de fora (?), com outros olhos ou sei lá como. reparo nas minhas atitudes com as pessoas, faço uma analise do meu dia - das coisas que fiz ou deixei de fazer. estou sempre procurando ser gentil com quem eu encontro na rua - um segredo: minha vontade é de sentar com um estranho e contar a minha vida e ouvir a vida dele, chorar, comer e depois ir embora, só levando comigo as doces lembranças daquele encontro casual.
eu continuo sendo a neta da vovó, que não sabe cozinha direito e nem faz ideia de como se lava uma roupa. ainda tenho uma aversão ao salto alto - creio que isso não irá mudar nunca. sou a mesma chorona de sempre - a diferença é que agora eu nem me importo mais com o local, deixo as lágrimas correrem soltas pelo meu rosto. eu ainda sonho em morar em são paulo.
deixei de falar que sertanejo é música de corno - afinal eu constantemente estou ouvindo e a culpa é do otávio ;x . aprendi a gostar de los hermanos - tem dias que eu passo ouvindo só música deles. percebi que vestido é uma coisa boa e confortável - só preciso me lembrar disso quando for sentar. descobri que mesmo com toda tecnologia que existe as pessoas ainda curtem receber uma carta escrita à punho - e isso é gostoso demais. descobri que bebedouro é uma coisa nojenta demais - e faz anos que eu deixei de usar, morro de sede mas não bebo.
já não me importo mais com a hora de dormir. atóron ficar segundos/minutos/horas conversando com alguém, ouvindo alguém. resolvi abrir mão de certos preconceitos que só afastavam as pessoas de mim. tem quem diz que hoje eu estou liberal demais, vásaber. mas, ainda tenho minhas tradições, das quais eu não abro mão.
ver a vida por vários ângulos, esse é o segredo.
fiz vinte anos há uma semana e pouca coisa mudou, ou mudou e eu ainda não percebi. de fato eu só irei perceber/notar essas mudanças quando eu estiver pra completar vinte um - isso sempre acontece.
unhas grandes não me satisfazem mais, só que ainda uso, o motivo agora não é a vaidade e sim a preguiça de cortar e lixar ._. ah, eu também passei a usar esmalte vermelho, coisa que antigamente para mim era um escândalo ;x
pois é, os dias vão vindo e indo. as mudanças vão acontecendo, algumas devagar/de leve sem fazer barulho/alarde e quando paramos pra ver, pronto, tá feita. já outras são notórias e trazem consigo um certo desconforto.
é isso. acordo todos os dias e sinto que algo mudou, nem que seja um fio de cabelo que caiu durante a noite ou então aquela antiga árvore que ganhou uma podagem nova.

# agora, o oposto do que eu disse antes.

palavras e palavras.

.
o final do ano se aproxima a cada dia que a lua aparece e o sol troca de lugar. todos já fazem planos mil pro próximo ano, eu não estou fora dessa lista. alguns já desanimaram e jogaram a toalha antes mesmo do 'juiz' apitar o jogo e dizer: acabou.
é engraçado olhar os meus primeiros textos aqui e ver que eu mudei demais. no mesmo período no ano passado, eu me encontrava aqui reclamando rios da vida/do ano/de tudo. já contava desesperadamente o dia que o primeiro de janeiro iria chegar e trazer coisas novas pra mim. eu reclamava e dizia que final de ano só rola falsidade, que o natal de hoje em dia é falso e blábláblá. hoje eu olho e penso: como eu era ridícula e desiludida. sinto um orgulho enorme ao me ver hoje, cheia de esperança e certeza de que coisas boas sempre estão acontecendo. mas infelizmente nem todos acham/pensam assim.
dizem que eu sonho demais, idealizo demais as coisas. pode até ser verdade, mas é melhor ser assim do que assado /oi?!
não acredito que o mundo esteja completamente perdido. ainda acredito nas pessoas e a cada dia vejo que acreditar/confiar em alguém vai muito além de um simples segredo.
durante um bom tempo eu neguei sentimentos, depois de um tempo resolvia assumir e então acabava caindo do meu cavalo preto ;~ a raiva vem, isso é inevitável, só que ela não pode permanecer, até mesmo porque isso só fará mal pra quem a cultiva dentro de si. sou mil vezes virar a cara, falar minhas besteiras e depois de um tempo ir lá, abraçar e pedir perdão. deixar o perdão vir e acontecer.
como sempre eu nunca falo nada com nada, mas sei que daqui umas semanas eu irei ler e verei o quão sentido todas as palavras tem.

# no ano que passa, no ano que vem.

todo carnaval tem seu fim.

. toda trilha é andada com a fé de quem crê no ditado :)

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

pedaços importantes.

.
durante o dia eu 'conheço' várias pessoas. que vão daquelas que eu vejo quando coloco o pé na rua, até aquelas que respondem os meus tweets.
algumas se vão e eu nem sinto falta. outras vão ficando, ficando e quando eu vejo já se tornaram importantes.
importantes e essênciais pra mim.
acho que o meu defeito maior é sempre querer se fazer importante para o outro. acho que sou carente demais.
gosto quando alguém sente minha falta. gosto quando alguém percebe o meu humor só de olhar nos meus olhos ou então só de ler uma frase solta e sem sentido.
eu também gosto de sentir falta de algumas pessoas e gosto quando de um jeito ou de outro encontro palavras que a deixa feliz e melhor.
eu percebi que pra se demonstrar afeto não é necessário muita coisa, pra alegrar um coração carente basta uma palavra no momento certo/errado.
quando você menos imagina/espera você já faz parte daquela pessoa. você já é um pedaço que a deixa mais completo/a.
algumas vezes não percebemos, mas tenha certeza de que você é um pedaço que falta em alguém.
e com quase toda a minha certeza, você é o meu pedaço maior. aquele que me completa até mesmo quando se encontra distante. *-*

# deixa eu brincar de ser feliz.

terça-feira, 8 de dezembro de 2009

mais leve.

.
sabe quando você faz de um tudo pra agradar uma pessoa e nada consegue?! isso constantemente acontece comigo, pois eu tenho um dom 'especial' - meter os pés pelas mãos o/
mas, mesmo com o meu jeito todo errado, estou sempre querendo agradar as pessoas a minha volta, mostrar que no fundo sou legal e tenho sentimentos de verdade.
só que algumas pessoas não percebem, ou melhor, nem fazem questão de notar isso.
aí quando eu fico totalmente seca e grossa, a pessoa se toca e começa a cobrar. achando que é assim, aperto o botão e a boneca aqui volta a ser sorridente e gentil ¬¬'
desde pequena eu sempre valorizei demais as pessoas, principalmente amigos/amigas, só que como sempre acontece, vieram problemas/decepções e o coração de papel aqui foi ficando endurecido. e com o passar dos dias/meses/anos a coisa só piorou.
eu sou daquele tipo de pessoa que se apaixona fácil mesmo, não nego isso. só que meu bem, na mesma velocidade que eu me apaixono eu fico com raiva e às vezes até repulsa, pela tal pessoa. sim, comigo é assim: bom ou ruim. esse negócio de meio-termo é pra gente fraca. ou me quer ou quer outra pessoa, porque as duas você não terá nunca. e não venha dizer:
- e você pode gostar de vários ao mesmo tempo?!
- primeiro: eu não prometi exclusividade nenhuma, sempre deixei tudo as claras.
- segundo: não está satisfeito a porta,ou melhor, o 'x' que fecha a janela é ali do lado. :)
eu não quero prêmio, eu não quero declarações rasgadas de afeto. só quero sentimento de verdade, sabe?! essa falsidade que hoje lidera vários relacionamentos já não mais serve pra mim. eu não sei fingir sentimento.
na boa, acho melhor parar por aqui. estou nervosa, tremendo e com uma vontade de deletar você de vez da minha vida.
só um aviso: isso pode acontecer a qualquer momento, não confie nos sentimentos, porque eles eu pego e guardo dentro de mim e o resto que se foda. (:

# i can be so mean when i wanna be.

sweet dreams


- sonho um dia acordar e ter você ao alcance de meus braços.

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

estação.

.
daqui duas semanas a primavera irá embora, levando consigo as flores que durante esses três meses enfeitaram os meus dias cinzas.
nos dias cinzas as flores ficam mais coloridas, mais vivas.
será que é a ultima estação do ano ou a primeira?! acho que isso não faz diferença,né?!
posso dizer que esse ano as estações ganharam um brilho/uma cor diferente.
eu só espero que o no ano que vem tudo aconteça de um jeito melhor. sei que isso pode soar como uma reclamação, mas não é. assim como todos eu só quero um pouco mais :)
vou caminhar até a minha vó.
reparar melhor nas flores que já estão em clima de despedida. *-*

# coloquei meu sapatinho na janela do quintal.

sábado, 5 de dezembro de 2009

básico.

.
eu sempre quis escrever sobre a gente. tanto é que sempre escrevi e guardei só pra mim, tinha medo da inveja alheia.
quando tudo começou eu fiquei com medo. o medo de fato é meu sobrenome u.u
eu pensei que não iríamos pra frente, afinal você era uma coisa inédita pra mim. sei lá, estava tão acostumada com a falsidade que rola por aí, que quando me deparei com a sinceridade que é você, pensei que não iria suportar. mas cá estamos há (quase) onze meses :)
eu te amo tanto. eu queria tanto saber demonstrar mais isso, ao invés de ficar com ciúmes bestas ._.
em todos os momentos eu queria estar do seu lado, nem que fosse pra ser aquele velho ombro magro que iria receber sua lágrimas. ou então aquele sorriso sincero, pra dizer que tudo ficaria bem.
você é o meu lado bom. tem sempre os melhores conselhos. sabe daquilo que eu preciso ouvir, mesmo quando eu não quero.
não vejo a hora de te encontrar. quer dizer, será que isso ainda vai acontecer?! porque vejo que estamos tão distantes nos últimos dias.
mesmo que não aconteça, quero que se lembre sempre que você fez/faz a diferença na minha vida.
eu sei, poderia ter postado fotos, poderia ao menos postar o seu nome aqui, mas como você deve imaginar, provas não são comigo. e demonstrações públicas menos ainda. só espero que você perceba que é pra você.
te amo queijinho

# meu bem, um grande amor não há quem mude.

robi.

.
me apaixonei por um estranho.
ele tem um cabelo bagunçadamente (?) lindo.
uns dentes grandes e brancos.
um nariz grande e fino.
uma voz que faz eco dentro de mim.
sabe tocar violão divinamente bem.
ele é branco e magro.
usa roupas normais: camisa branca e calça jeans.
ele tem uns cabelos na cara. tá, eu poderia dizer que é uma barba, só que falta cabelos em algumas partes.
acho que todas que olham e escutam ele, pensam: mãe, quero um assim.
não quero ele pra mim. só quero a voz dele dentro de mim.
mais uma paixão estranha pra minha coleção.

# eu gostaria que você pudesse.

05122009

.
hoje, eu olhei pra trás e vi que somos só lembranças.
lembranças de bons momentos e maus momentos.
momentos que eu sempre irei me lembrar.
queria até escrever um ultimo poema pra ti, demonstrar nem que fosse pela última vez todo o sentimento que carrego por ti dentro de mim.
pode até ser tarde demais, mas sei lá, ainda penso que sempre existirá uma pequena luz no fim pra nós. uma luz que me levará de volta a você. uma luz que te trará de volta pra mim.
diferente de todos, não quero chegar aqui e procurar culpado/vitima.
o fim às vezes é necessário, pois afinal o meu coração necessita de lembranças e de saudades.
me orgulho de você, me orgulho de ver quem hoje sou - graças a você.
assumir que acabou não é fácil, porque eu nunca imaginei isso acontecendo, ainda mais entre nós.
nós que éramos tão constantes e crescentes.
tudo bem. pode seguir em frente. eu irei pela direita.
carregando comigo aquele pedaço seu que me completa. leva contigo o meu cartão de natal, sinta meu cheiro quando a saudade te visitar.
e acredite que um [re]começo pode acontecer quando eu voltar ;)

# eu só quero que você saiba quem sou eu.

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

se passou um mes.

.
- se passou um mes e então, é meu 'desaniversário' \o/
- se passou um mes e então, eu tenho uma tatuagem *-*
- se passou um mes e então, falta alguns dias pro's meninos chegarem '-'
- se passou um mes e então, eu estou de férias :D
- se passou um mes e então, eu vejo o mundo de um jeito duplo (por conta da bebida) ._.


# dois ponto zero - on.
.

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

chegou.! (^)

eu tenho.

.
ontem eu acordei com um humor supremo =)
sorrindo pra todos no meio da rua, enquanto caminhava pra vir trabalhar. quem me olhava não acreditava que era a mesma menina que na segunda estava só chorando.
cheguei no trabalho e os problemas começaram a brotar do chão, mas quando eu abri os olhos ontem eu decidi: os problemas ficarão dormindo até semana que vem, não estou afim de me aborrecer e nem de chorar mais. e foi isso que eu fiz, deixei os problemas do trabalho entrar por um ouvido e sair direto pelo outro.
o motivo de tanta alegria e felicidade?!
- o primeiro: a carta/pulseira que eu recebi da thamires *-*
- o segundo: a caixa/carta que eu recebi do juliano :)
- o terceiro: as pessoas que eu tenho
- o quarto: um coração alegre aformoseia o rosto '-'
é claro que existem vários outros motivos/razões, mas eu não vou ficar postando aqui.
não é fácil sorrir quando se quer na verdade gritar e mandar todos pra casa do lobo mal /oi?! mas se tem uma coisa que eu estou aprendendo é que: se você quer, você consegue.
então, essa semana eu quero só sorrisos e festa \o/ passei muito tempo reclamando e querendo além do que tinha, acho que cheguei na idade - ou estou chegando - em que se é preciso crescer de fato e deixar de ser uma pirralha mimada.
sinto que agora eu só preciso agradecer e aguardar que mais coisas boas estão por vir. eu sei que coisas ruins acontecem e que desgraça nunca vem sozinha, mas sei lá, acho que coloquei um óculos-cor-de-rosa e resolvi ver tudo de outro jeito :)

- o choro pode durar uma noite (um dia), mas a alegria chega logo pela manhã. *-*

# isso me acalma, me acolhe a alma.

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

um pensamento solto.

.

hoje o amor veio me visitar.

trazendo nas mãos uma carta sua.

me lembrando das coisas que vamos viver e que já vivemos.

fiquei meia sem jeito, com uma gotinha de vergonha ><'

mas não consegui conter o sorriso largo e besta que se estampou no meu rosto, sorriso esse que tá comigo desde a tal visita.

agora o meu único pensamento é: você.



- eu te amo a qualquer distância de qualquer maneira



#doritos.

eu preciso.

segunda-feira, 30 de novembro de 2009

um pedaço.

.
não sei o que acontece comigo, mas sempre que o problema realmente mostra a cara, a única coisa que eu consigo fazer é chorar ;~
choro porque não sei o que fazer. choro porque eu não tenho respostas. choro porque não consigo resolver. choro porque eu sou fraca.
eu já sabia que mais cedo ou mais tarde iria acontecer, mas sabe quando você simplesmente tampa o sol com a peneira, ou então, joga o 'lixo' pra debaixo do sofá?! - sim, era isso que eu estava fazendo. mas, ontem as coisas vieram à tona e todos agora - principalmente eu - não podem mais fingir não ver o que está acontecendo há tempos.
confesso que já chorei rios. antes mesmo de tudo se fazer transparente.
ah, como eu queria saber ao menos o que fazer, ou pelo menos ter o que fazer. talvez eu tenha, mas seja tão acomodada/medrosa, que nada faço ;/
às vezes eu queria poder ter alguém com dividir tudo isso, mas sei lá, as pessoas já possuem problemas demais. sim, nesse caso eu sou egoísta ou preocupada demais com o outro.
e a cada dia eu me tranco mais dentro de mim.
a única vontade que eu tenho é de chorar. e chorar mais um pouco.
eu sei que tudo ficará bem, que no fim toda tempestade vem um arco-íris e bláblá, mas poxa eu sou humana/fraca/chorona .-.
sei lá, qualquer dia eu irei acordar e ver que as coisas (finalmente) chegaram ao fim. agora basta saber que fim será esse.
todos os dias sinto o chão de abrir aos poucos. espero que ele se abra de uma vez, porque é quando chego no fim do poço que reconheço o quão pequena e dependente de Deus eu sou.
não quero que ninguém sinta pena de mim, porque de fato esse é o pior sentimento que alguém pode ter por mim ou por qualquer outra pessoa. a vida é assim,?! um dia estamos por baixo, outro estamos por cima, no seguinte de lado e por aí vai. acho que o primeiro passo eu já dei: reconheci que sim, existe um problema a ser resolvido. agora, como que será a resolução dele?! - não sei, mas sei que Quem irá me ajudar sabe, basta eu confiar. :)

# preciso encontrar os pedaços que deixei pelo caminho.

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

entre a gente.


.
# que cada sentimento/emoção/desejo tenha um sabor único/marcante/eterno (:

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

(não) consulta.

.
(barulho de uma porta de abrindo)
- robert.! robert.! eu preciso muito falar com você, e é tipo A-G-O-R-A
- calma, elis. por acaso a senhorita não viu que eu estou ocupado?!
- eu sei. ah, me desculpa, mas será que a senhora pode voltar daqui a pouco?! prometo que não vou demorar
- o que você pensa que está fazendo?! você não chegar aqui e espantar meus pacientes.
- tudo bem, to indo embora. tchau.
(barulho de uma porta batendo com muita força)
...
(barulho de uma porta se abrindo)
- psiu, onde você pensa que vai?!
- eu vou embora, já que você não me quer aqui.
- não venha com essa, mocinha. você tá cansada de saber que os seus mimimi's não funcionam comigo. então, a senhorita vai sentar ali naquele sofá e esperar a consulta da dona 'beterraba' acabar.
- não vou não. você nem é meu pai.
- já disse. daqui dez minutos você entra.
(barulho de um relógio - tic tac, tic tac ♪)
...
- pronto, pode entrar.
- (silêncio)
- não vai dizer nada?!
- (silêncio) [2]
- êtaferro. tudo bem, eu já sei o que você quer. vem cá, deite aqui e conte.
- eu não quero deitar hoje.
- ah, então fique em pé, mas por favor abra essa boca, eu já estou mais curioso do que você.
- sásenhora, você deveria fazer um tratamento.
- já contou?!
- eu posso dançar?!
- não
- então não conto.
- agora você também apela pra chantagem?! quem te viu e quem te vê, juvenal.
- juvenal é sua vizinha nordestina ¬¬'
- dança.
(barulho de gargalhadas)
- você é tão ridiculo, sr. batata. e eu ainda me pergunto como consigo gostar tanto de você.
- porque eu sou o único que sempre te entende, te compreende e que nunca te abandona.
- ah, e é o único também que deixa eu babar nas calças novas .-.
- a gente faz o que pode. agora dá pra contar o que você tanto queria me contar?!
- me esqueci ;x
- olha a mentira, mocinha. quer que eu te vire de pontacabeça?!
- não, obrigada.
- então diga logo, caramba.!
- lembrei, lembrei :)
- o que é?!
- eu só queria te contar que finalmente eu consegui chegar no nível sete daquele joguinho. \o/
- não acredito nisso.
- rá, quem mandou ser curioso '-'

# somos melhores quando somos dois.

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

25112009

.
me esqueci.
me esqueci de mim.
me esqueci de você.
me esqueci de nós.
me esqueci de esquecer.
me esqueci.

sempre ele.

.
sonhar com você me deixa bem. me deixa feliz. me deixa leve :)
sonhar com você me traz esperança. renova minhas forças. alegra o meu coração.
sonhar com você é sempre bom. é sempre colorido. é sempre prazeroso.

sim, hoje novamente eu sonhei com ele. '-' tá, isso era pra ser uma coisa comum, mas não é. fazia já dois meses que não acontecia. e quando eu menos esperei lá estava ele no meu sonho. [re]ascendendo a chama do meu coração (:
todos os dias eu digo que vou pegar o telefone e ligar na casa dele. pois é, mais uma das tantas promessas que eu não cumpro ;~ por isso que eu estou evitando fazê-las. não que eu tenha uma desculpa, mas é que ligar pra lá (já) sabendo que não vou encontrar ele, me deixa triste e desanimada. =/
se algum dia eu contar pra ele sobre todos esses textos, aposto que ele não vai acreditar, não até eu mostrar. sim, eu faço questão de esconder o sentimento que eu carrego por ele, acho que é uma mistura de orgulho com medo, sei lá.
vira-e-mexe, ele é o meu assunto.
semana passada eu encontrei um texto antigo que eu fiz sobre a gente. veio tanta coisa na minha cabeça, tantos sentimentos no meu coração. um dia talvez eu transcreva ele aqui :)

# prefiro acreditar que o bem sempre vence.

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

só.


.
todos os dias.
todos os dias quero acordar e sorrir por te ter ao meu lado.
todos os dias quero ter planos novos pra nós.
todos os dias quero que o sentimento que hoje existe em mim aumente.
todos os dias quero realizar meus sonhos com você.
todos os dias quero vê nos seus olhos a razão do meu sorriso.
todos os dias quero poder ser aquele alguém que te completa.
todos os dias quero que a minha felicidade seja a mesma que a tua.
todos os dias.

# meu coração é secular.

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

._.


.
'meu limão, meu limoeiro.
meu pé de jacarandá.
faz nascer o arco-íris depois que essa tempestade passar.!

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

uma dúvida.


- será que, se eu colar um selo na minha testa o carteiro me leva até você?! '-'

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

um jeito de ver a vida.

.
uma vez eu disse pro will que eu iria escrever sobre o modo como vejo a vida. tá, isso já faz uns dois/três meses ._. confesso que eu pensei em vários, pois afinal não queria ser clichê e dizer que a vida é tipo um caminho - com várias paisagens, umas bonitas, outras feias, umas que deveriam durar para sempre e outras que tu não vê a hora de acabar. cheguei a pensar que a vida poderia ser comparada a um semáfaro - tem horas que temos que seguir em frente. em outros minutos devemos parar e pensar um pouco. já nos segundo devemos dá um 'break' e consertar algo. e claro que não deixei de pensar que a vida poderia ser que nem uma caixa - caixa com surpresas boas. caixas com presentes 'gregos' ou então caixas vazias.
só que no final de tudo, a ficha caiu e eu descobri o (meu) melhor jeito de ver a vida, ou melhor, de comparar a vida com algo: o mar *-*
o mar é tão lindo e encantador como a vida. o mar é cheio de surpresas e na vida isso não é muito diferente. o mar às vezes oscila demais e provoca altas ondas, enquanto na vida essas 'ondas' são formadas por momentos delicados/sofridos. e por aí vai.
só que o que me fez escolher o mar não são essas semelhanças. até mesmo porque eu estou falando de minha vida, não da sua.
nos últimos dias, ou seria semanas (?). a minha vida/o meu eu, tem oscilado bastante. em outros momentos me sinto mansa. tem dias que acordo causando desastres e outros eu me deito sentindo que fiz alguém feliz. assim como o mar, a minha vida é cheia de segredos. acredito que tenho algum tesouro perdido dentro de mim, confesso que uma vez cheguei acreditar que esse tesouro se chamava coração, tá, eu ainda continuo pensando, o problema é que às vezes algumas pessoas não dão valor a ele, então fico na paranóia de que talvez ele não é um tesouro mesmo /oi?! não são todos os dias que o mar brilha e encanta, acho que nem preciso dizer que comigo não é muito diferente,né?! tem dias cinzas e dias verdes. dias de chuva e dias de sol. [isso ficou tão demodé ;x] e assim como o mar abriga vários peixes, eu abrigo vários amores e paixões. (:

# o amor tudo pode resolver.

terça-feira, 17 de novembro de 2009

just.

17112009

ec. 4.9a


. melhor é serem dois do que um

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

imagem.


- quando o inverno voltar, eu quero estar junto a ti

favorites

- enquanto houver gelo, há esperança (YN'
- realmente uma música pode fazer 'milagres' acontecerem (:
- What do you feel when you look in the mirror. Are you proud
- who moved my cheese?!
- se o aquecimento global fosse causado por abraço ninguém iria reclamar! (;
- minha vida é um prato de brigadeiro, todos querem meter a colher.!
- Well, if you want to sing out, sing out.!
- It's too bad we had no time to rewind
- será que se eu tomar paracetamol a música some de minha mente?!
- a felicidade de quem a gente ama é a nossa felicidade em dobro ;D

- 'you can be a sweet dream
- algumas pessoas se vão que eu nem vejo ;x
- às vezes eu queria me ver (só) através dos olhos dele *-*
- algumas pessoas são pra sempre. mesmo com a distância e o intervalo de convivência :)
- 'o amanhã começa hoje.'

# twitter.

domingo, 15 de novembro de 2009

cinco


____
.
diferente das outras vezes, ela não abaixou a cabeça e nem ficou vermelha. olhou pro lado e começou a cantar junto com ele.
ela assim como ele não conseguia cantar sem se embolar na letra da música, o que resultou em várias crises de risos. era impossível saber qual olho brilhava mais. um clima estava se formando e isso foi fazendo surgir um frio na barriga dele.
quando estavam cantando pela nona vez, ele foi e abaixou o som. queria conversar com ela, estava cansado de fugir.
- será que podemos parar aqui?!
- por que?! tá passando mal?! aconteceu alguma coisa?!
- nossa, quanta pergunta. calma, não aconteceu nada. eu só quero sair e conversar com você.
- será que pode esperar até a gente chegar.
- chegar onde?! se nem você sabe pra onde estamos indo.
- tá. parei. vamos sentar ali?!
foi quando ele olhou pro lado e viu um balanço. daqueles antigos e enferrujados. ele saltou do carro e deu a volta pra abrir a porta pra ela. abriu, segurou a sua mão e então a abraçou. depois de uns minutos foram se sentar no velho balanço.
aquele velho silêncio constrangedor não existiu, porque ele estava disposto a falar tudo que vinha guardando há meses dentro de si.
- fecha os olhos.
- pra que?!
- fecha os olhos e então poderá ver melhor.
ela fechou os olhos, esperava que ele fosse lhe entregar algum presente, mas não foi o que aconteceu.
- posso abrir?!
- não. continue assim.
- tudo bem, mas qual o motivo?!
- ouvir dizer que com olhos fechados conseguimos ver melhor. antes que você arrume uma teoria, eu vou falar e só peço que você escute.
ela respondeu o sim em forma de sorriso. então ele pegou na mão dela e deixou o coração falar, falar tão alto que parecia que ele (o coração) estava usando um auto-falante. essa era a intensão dele, porque queria que ela fosse capaz de ouvir tudo aquilo que ele por meses guardou pra si.

visto cá de dentro.

.

que beleuza, o ano está acabando e (quase) todos já começam a fazer o balancete dos acontecimentos e não acontecimentos. sim, eu também estou fazendo os meus, quer dizer, pra ser sincera eu os faço desde o dia dois de janeiro ._.

pra quem não sabe esse ano foi um dos melhores. motivos não me falta e com certeza farei uma lista (resumida) de (quase) todos aqui, mas como eu sei que muita coisa ainda estar por vir, deixarei a lista pro ultimo dia do ano :)

sabe, confesso que sinto vontade de chorar por várias coisas que me aconteceram. só que eu resolvi não chorar mais, não por essas coisas. hoje eu quero chorar, chorar por horas, sentir os meus problemas/minhas dúvidas/meus medos saírem de mim em forma de lágrimas. lágrimas que irão cair no chão e secarão.

falta tão pouco pro meu aniversário, falta tão pouco pro natal, falta tão pouco pra eu me encontrar com ele, falta tão pouco pra ele partir de vez e falta tão pouco pro relógio zerar e começar a contar novamente.

sei que novamente estou escrevendo um texto sem pé,cabeça ou umbigo (?), mas é que eu ando tão confusa, mas tão confusa, que to fazendo curva onde só tem reta ;x não vou dizer que vou tentar mudar isso, porque de fato acho que continuarei assim. acredito que é esse jeito que fez ele se apaixonar por mim ><' e olha eu entrando em outro assunto u.u

me lembrar de que: coração mole na mão de quem não presta escorre pelos dedos /oi?!



# o que te faz pensar que amanhã será melhor?!

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

consulta.

.
(toc toc)
- pode entrar.
(barulho da porta de abrindo)
- bom dia, sr. robert :)
- ah, bom dia, maria. como está?!
- não muito bem ;~
- é, eu imaginei. só essa semana você veio aqui três vezes. não estou dizendo que é pra você deixar de vir, mas ... bem, me conte o que tá acontecendo.
- o problema é esse, eu NÃO sei. a minha vida tá oscilando mais que o oceano em época de tempestade. ao mesmo tempo que eu estou sorrindo, distribuindo alegria e sedução (?), me sinto chata, triste e carente =/
- será que ...
- não, não. ela já se foi. agora só mês que vem. e então o que me diz?!
- bom ... sabe maria, você precisa parar de pensar um pouco. até mesmo porque esse não é lá muito o seu forte. cadê a maria espontânea que eu conhecia no ensino médio?! aquela cheia de sonhos e desejos?! ontem você me disse que sente saudade do - , se fosse em outra época tu não iria ficar aí, quebrando coração à toa, já teria batido na porta dele e se jogado. aí na quarta tu me contou que tá pensando em terminar com o * , se fosse pra terminar já o teria feito, confessa que você não consegue e tente melhorar o seu relacionamento. porque se até na terça ele te fazia feliz, aposto que pode continuar, basta você se [re]encontrar nele. e com relação aos problemas de casa, meu purê de batata, mas uma vez lhe digo: tome suco de groselha, escute música alta e faça suas obrigações. desse jeito eu tenho certeza de que algumas coisas irão melhorar.
- ah, robert, você é sempre tão amoroso. se tu fosse real me casaria contigo. tá, não precisa fazer cara, estava só brincando '-' posso me deitar aqui?!
- você já está deitada, querida.
- eu digo aqui no seu colo. quero um carinho na cabeça e ouvir-te cantar aquela música que fez pra mim.
- ah, sim. venha, coloque a cabeça aqui. e por favor sem babar na minha calça, essa é nova, ganhei da margarida :)
- pode deixar que vou dormir de boca fechada. mas, hein, me conta sobre você e margarida?!
- conto sim, mas só quando você acordar. afinal aqui é você quem conta as coisas. quando estivermos na sua casa, tomando chá com bolacha mabel, eu contarei tudo. agora cale a boca e escute.
(barulho de robert cantando )

# no meu mundo eu escolho o que é real.

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

promessa.

pensando bem.

.

eu queria ser: um livro - àquele que iria ficar na cabeceira de sua cama, pra você ler todos os dias e ter ótimos sonhos.

eu queria ser: uma música - àquela que faria morada na sua mente.

eu queria ser: uma flor - pra deixar seu dia mais perfumado.

eu queria ser: um passarinho - pra cantar pra ti todos os dias.

eu queria ser: um coberto - pra não te deixar sentir frio nas madrugadas de inverno.



pensando bem, acho que não preciso ser um livro, afinal você me lê todos os dias, quando olha em meus olhos. '-'

pensando bem, acho que não preciso ser uma música, porque de fato já faço morado na sua mente. (:

pensando bem, acho que não preciso ser uma flor, você diz gostar do cheiro doce que a minha pele tem. *-*

pensando bem, acho que não preciso de um passarinho, pois canto e te [en]canto todas as manhãs com àquelas músicas brega. ><'

pensando bem, acho que não preciso ser um coberto, o meu corpo por si só impede o frio de te encontrar. ;D



# cada minuto me interessa.

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

-

.
primavera: assim como flores, o amor vem brotando no meu coração de vidro *-*

uma realidade.

.
pois é, pense em alguém com saudade. não, esse alguém não sou eu, porque eu sou a saudade :)
a saudade que você sente todos os dias. a saudade que tira o seu sono. a saudade que confunde os seus pensamentos. a saudade que faz o seu coração doer. a saudade que te oferece esperança. a saudade que te traz boas lembranças. a saudade que invade os seus sonhos. a saudade que você gosta de sentir. a saudade que um dia baterá na porta de sua casa.

# saudade até que é bom.

querido diário.

.
eu to tentando levar a vida de um jeito leve, sabe?! sem cobrar as pessoas ao meu redor, e olha que quem me conhece sabe o quão difícil é pra mim. sim, sou daquele tipo de menina mimada que espera pra si toda a atenção que se é [im]possível ;x
até aí tudo bem, porque de fato, mesmo quando a minha vontade é de montar um circo, eu me calo e continuo sendo a mesma. mentira, porque eu mudo, é uma coisa automática,sabe?! mas sem barraco, sem circo. - tá, essa parte foi desnecessária.
o problema é que algumas pessoas não me entendem ;~ querem me oferecer satisfação de tudo, procuram sempre me agradar e tal's. é, isso é bom, mas me constrange, porque não é o que tenho feito. e o pior não são as boas ações e demonstrações de afeto, o que realmente me deixa triste/broxa (w) são as mentiras. sabe aquelas que o povo tem o costume de dizer que não faz 'mal' ?!
pra mim, mentira é mentira. e se tem uma coisa que eu aprendi a odiar foi ela. por isso tenho me estrepado tanto nesses últimos meses, perdido pessoas/relacionamentos. porque de fato eu tenho sido sincera até demais ._. então por favor, meus amores e minhas amoras, sem mentiras, sem exageros pro meu lado, será que até hoje não notaram que eu só gosto de atenção. não de ser o centro. /oi?!
tudo bem, até eu me perdi nesse amontoado de palavras aleatórias, pelo menos o coração tá mais leve. lembro que ontem eu li em algum lugar que escrever o que tá se sentindo ajuda organizar os pensamentos. :)

# não quero saber onde.

terça-feira, 10 de novembro de 2009

'


.
# o futuro é amanhã. seremos só (mais) uma caixa de lembrança?!

ontem.hoje

.
eu que sempre gostei mais da primavera, estou sentindo saudades do inverno.
eu que sempre gostei de verde, estou optando pelo cinza.
eu que sempre gostei do dia, estou preferindo a noite.
eu que sempre gostei de caminhar, estou preferindo ficar sentada.
eu que sempre gostei de guardar sentimentos, estou mostrando tudo.
eu que sempre gostei de chamar a atenção, estou me sentindo tímida.
eu que sempre gostei de dormir, estou perdendo noites e mais noites acordada.
eu que sempre gostei do certo, estou fazendo só o errado.
eu que sempre gostei de lá, estou escolhendo ficar aqui.
eu que sempre gostei do norte, estou indo pro leste.
eu que sempre gostei de televisão, estou ouvindo mais rádio.
eu que sempre gostei do romântico, estou escolhendo a comédia.
eu que sempre gostei de você, estou vendo que não é só isso.
eu que sempre gostei de ter respostas, estou respondendo.

# a vida continua.

começou.

.
meu celular vibrou, era sinal de que mais uma sms havia chegado. fiquei olhando, olhando e com nenhuma vontade/curiosidade de saber o seu conteúdo, afinal era dele.
se eu voltasse o relógio, ou melhor, o calendário, talvez a minha reação seria diferente. (vásaber)
a tela ficou escura e eu continuei olhando, sem me mexer. acho que isso tudo durou uns cinco minutos, mas juro que pra mim foram mais.
depois disso voltei ao que eu estava fazendo, nada :)
novamente o celular vibrou, mas não era uma sms chegando, ele de fato estava tocando (?). estiquei o pescoço e li o nome dele. pensei: 'é delírio meu'. deixei o celular vibrar até a ligação cair na caixa postal. dei um sorriso cínico e voltei ao que estava fazendo, nada (:
mais uma vez o celular vibrou. sim, era ele ligando novamente e novamente eu deixei a ligação cair na caixa postal. isso se repetiu por mais cinco vezes.
foi quando eu deitei na cama e o interfone tocou. como de costume, ao invés de atender o interfone, fui olhar pela janela. quando o vi ali, com o celular na mão e uma caixa colorida em outra, não acreditei. minha vontade era de pular a janela, em cima dos braços dele, mas o orgulho não me permitiu nem abrir a boca.
- será que a gente pode conversar?!
- você não tá achando que vai me 'comprar' com essa caixa colorida,né?!
- claro que não e ela nem é pra você. então ... podemos conversar?!
- já estamos conversando.
- tudo bem, se você prefere assim. olha, eu não sei o que aconteceu, pensei que depois daquela conversa tudo voltaria ao normal, mas to vendo que não, e ...
- tá bom, pode subir.
enquanto ele subia, eu coloquei uma camisa/escovei os dentes/arrumei o cabelo e peguei na gaveta de cima um sorriso amarelo.
- entra.
- com licença.
- pra quem é essa caixa?!
- não mude de assunto, mocinha. agora quem vai falar sou eu.!
ele ficou ali, bem ao alcance de meus braços, tão perto da minha boca e ao mesmo tempo tão longe. não prestei a misera atenção no que ele dizia, e quando ele chegou ao fim de seu discurso comprado, o máximo que consegui dizer foi:
- quer namorar comigo?!
- como assim?! você ouviu tudo o que eu disse?! não, você não ouviu, você sempre faz isso.
- quer ou não quer?!
- vou embora. desse jeito não dá.
- eu vou falar bem pau-sa-da-men-te, que é pra você entender bem: se tu sair por aquela porta sem me oferecer uma resposta não precisa voltar nunca mais.
- pra você é tão fácil dizer isso. você quer o que?! que eu me jogue nos seus braços?! pra depois você ficar bêbada e esquecer tudo?!
- eu perguntei primeiro.
- se eu responder 'sim', terei as minhas respostas?!
- você já respondeu a minha pergunta?!
- sim, eu quero. agora é sua vez de res...
não quis saber das regras, não quis saber de vizinhos, não quis saber o que ele iria pensar depois. puxei ele pelo pescoço e fiz aquilo que queria fazer. o nosso primeiro beijo, como namorados. *-*
- quem diria que a menina tímida seria assim.
- eu aprendi com você ;D
- e aprendeu muito bem, parabéns batata.

# a frase fica pelo avesso, meio na contra-mão.

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

a melhor parte de mim. ♪

.
# quando tudo acabar será você e eu.